Dia da Consciência Negra: Mãe Meninazinha fala sobre cultura negra e perseguição policial no RJ

 

Hoje, Dia da Consciência Negra, o Mecanismo de Combate à Tortura RJ convida todas e todos a ouvirem um pouco da história que Mãe Meninazinha de Oxum tem para nos contar. Você sabia que um dos maiores acervos históricos de objetos sagrados dos terreiros de Umbanda e de Candomblé está em posse da Polícia Civil do Rio de Janeiro? E que, depois de subtraído de terreiros, por décadas ele foi chamado de coleção Magia Negra, exposto ao lado de suásticas nazistas e armas apreendidas pela polícia? Quanto desrespeito!

Testemunhos e acervos como esse nos ajudam a entender as origens racistas da política criminal no Brasil, que desde a chegada dos negros escravizados nas cidades após a abolição, tem servido para o controle violento da população negra. Algumas coisas mudaram no Brasil desde 1888, mas temos certeza de que a opção pelo punitivismo é uma consequência do racismo, que ainda marca estruturalmente nossa política e nossa sociedade.

Para nós é uma honra estar ao lado de Mãe Meninazinha e de pessoas que exigem que a polícia não custodie mais esses objetos sagrados. A cultura negra não é um caso de polícia! Agradecemos os parceiros que estiveram conosco nessa conversa tão forte, como o Coletivo RJ Memória, Verdade e Justiça, a Coordenadoria Estadual por Memória e Verdade e a campanha Ocupa Dops. Em pensar que o acervo que evidencia a tortura contra os negros está no mesmo prédio em que funcionou o DOPS e onde hoje estacionam caveirões! Isso mostra como a memória é um elemento imprescindível na luta contra a tortura e pela liberdade. É para isso que servem datas como a de hoje.

Viva Zumbi! Viva Dandara! Viva Palmares! Continuamos lutando. Axé para todas e todos!

#DiaDaConsciênciaNegra
#LiberdadeParaRafaelBraga
#MemóriaeVerdade
#OcupaDOPS
#BlackLivesMatter
#TortureFreeWorld

Fabio Cascardo e equipe do MEPCT/RJ
Mecanismo Estadual de Prevenção e Combate à Tortura do Rio de Janeiro
Fabio Cascardo, Renata Lira, Alexandre Campbell, Patrícia de Oliveira, Graziela Sereno e Vera Alves
Tel. n.º 021 2588-1385

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *